quarta-feira, 30 de outubro de 2019

Concurso para a escolha de logo

Instituto Ruth Guimarães

Concurso para escolha de logo

A Diretoria Executiva do Instituto Ruth Guimarães convida artistas, designers e outros interessados para participar do concurso para escolha do logo da entidade, que será regido pelas regras a seguir:

1. DO OBJETO
Concurso para a criação de logo para ser utilizado como elemento identificador do Instituto Ruth Guimarães.

2. DA PARTICIPAÇÃO
Poderá participar qualquer pessoa que domine as ferramentas tecnológicas que auxiliem na criação e design de um logo para o Instituto Ruth Guimarães.

3. DA APRESENTAÇÃO
O candidato deverá apresentar design acabado do logo, em imagem no formato jpeg, com resolução não inferior a 1.200 dpi, em dois formatos: horizontal (em dimensão proporcional a 28 cm de largura por 9 cm de altura) e quadrado (7 x 7 cm).

4. DA INSCRIÇÃO
Para inscrição, o candidato deve enviar, ao endereço eletrônico jmbotelho@uol.com.br, os logos acabados, em formato jpeg, conforme instrução contida no item 3. Pede-se enviar os logos anexados e não no corpo da mensagem. A confirmação de recebimento da mensagem servirá como recibo de inscrição. O autor deve identificar-se plenamente, no corpo da mensagem, com nome completo, profissão, endereço postal com bairro e CEP, endereço eletrônico e telefone, além de número de RG e CPF. Cada participante poderá concorrer com quantos logos desejar.

5. DO PRAZO
O concurso para escolha do logo do Instituto Ruth Guimarães está aberto entre os dias 01 de novembro de 2019 até 31 de janeiro de 2020.

6. DA SELEÇÃO
A seleção dos trabalhos será feita pela Diretoria Executiva do Instituto Ruth Guimarães em reunião a ser convocada para a primeira quinzena do mês de fevereiro de 2020, quando se dará divulgação do vencedor pelos mesmos meios utilizados para divulgação. Logos com erros de ortografia serão desclassificados. A decisão da Diretoria Executiva do Instituto Ruth Guimarães será irrecorrível.

7. DOS CRITÉRIOS
A criação é livre, porém dar-se-á preferência aos logos que contiverem elementos que privilegiem a cultura, a literatura, o nome do Instituto Ruth Guimarães e referências que possam remeter à lembrança da escritora e de sua obra.

8. DA PREMIAÇÃO
Caberá ao trabalho vencedor uma coleção de seis livros da escritora. O logo escolhido passará a pertencer exclusivamente ao Instituto Ruth Guimarães, para fins de divulgação, e sobre o seu uso não incidirão direitos autorais ou de propriedade ao autor vencedor.

Júnia Guimarães Botelho
Diretora Executiva

segunda-feira, 30 de setembro de 2019

Leia Mulheres


Uma conversa sobre literatura e oralidade, a partir de histórias recolhidas na fonte: com o povo, nas suas tradições.

Neste dia 4 de outubro, às 19 horas, na Casa Tombada. 

Na ocasião, será lançado o livro "Lendas e Fábulas do Brasil", de Ruth Guimarães (reedição pela Editora LetraSelvagem).

segunda-feira, 16 de setembro de 2019

Negócios Imobiliários


Ruth Guimarães

 Mestre Urubu estava voando bem de seu, no alto do céu, quando ameaçou tempestade. Olhou, meio temeroso, e ela vinha que vinha, atendo rajadas de água, estrondando trovão. As pombas passaram ligeiro bem perto do Mestre Urubu e se esconderam depressa no pombal, encolhendo-se bem.
O pelado viu e resmungou:
- Amanhã mesmo vou fazer minha casa. Eu voo melhor do que todos e estou aqui me molhando.
As andorinhas passaram afobadinhas e se meteram nos beirais do telhado, muito tagarelas, fala que fala, azoretadas com o susto.
Mestre Urubu considerou e resmungou:
- Qual! Tenho que fazer a minha casa. Voo melhor do que qualquer porcaria de andorinha e estou aqui pingando, enquanto elas não sofrem nada.
Passou o joão-de-barro, emproado, de casaca parda, sururucou para dentro da casinha-forno, de portinha feito de igreja.
O pretão olhou bem, com inveja, e resmungou, lá na sua:
- Hum! João-de-Barro, passarinho bocó. Não vê que ele chega aonde eu chego. E tem casa. Vou fazer a minha, assim que a tempestade amainar.
Voa de cá, voa de lá, procurando abrigo, encontrou os boiadeiros. Eles tangeram os bois e vieram correndo atrás. Entraram depressa nos seus ranchinhos de palha, bem cobertos de sapé. Quem foi que disse que eles se molharam mais? Urubu sofreu de inveja feia.
- Faço porque faço a minha casa! - crocitou. - Eu faço. Esperem só passar a chuva.
E a chuva passou. Urubu andou espiando por muitos lugares e acabou descobrindo o ninho da corruíra, muito entrançado de pau. A bichinha espiava de lá, com o olhinho castanho admirado.
- Sai daí, passarinho atoa! - chamou o Urubu já cheio de prosápia novamente. - Você tem casa, mas não é capaz de ir onde eu vou.
Corruíra, que tinha ouvido falar de passagem as boas resoluções do Urubu, perguntou:
- O senhor não vai fazer a sua casa, agora que passou a chuva?
E ele, muito estufado:
- Quem? Eu?! Quem tem asa, pra que quer casa?

FLIM - Festa Literomusical do Parque Vicentina Aranha

 Na FLIM, em São José dos Campos, A Literatura De Ruth Guimarães presente. Até o dia 17 de setembro, no Parque Vicentina Aranha.

LENDAS E FÁBULAS DO BRASIL

Amanhã, 17 de setembro, lançamento às 19 horas na Livraria Zaccara. E sábado, 21 de setembro, lançamento na Biblioteca Hans Christian Andersen, às 13 horas.